O Reino da escassez

Por: Ronaldo Bertacco*

Hoje estamos abastecidos de maquininhas elétricas que falam com o mundo todo e cartões magnéticos ou pix, substituindo dinheiro. Podemos viajar a qualquer lugar pelo computador ou pelo celular, comprar qualquer coisa pela internet e temos supermercados com qualquer coisa de comer, vestir, calçar e tudo com preços bem acessíveis. Melhorou muito. Racionalizamos os espaços do lar e tudo é rapidamente resolvido, consertos, curas e atendimentos. As grandes máquinas de deslocamento, de terraplanagem, de colheita e de transporte já são monitoradas por satélites que mapeiam, controlam e comandam todos os cantos da Terra.

Com essas facilidades todas, a população mundial está vivendo mais, crescendo, consumindo muito mais e se preparando para os tempos da escassez inevitável. Tudo tem limites. As substâncias que são transformadas em conforto, objetos, máquinas e alimentos estão se tornando cada vez mais raras e isso é irreversível. Só agora nos demos conta de que mudanças no comportamento são necessárias com urgência para evitar o caos completo no clima, no abastecimento de energia, no número de pobres cada vez maior, nas doenças dos obesos, nas viroses mutantes, no desperdício das embalagens, no aumento do lixo tóxico e na carência de água limpa para beber. Chegou o momento em que ganham relevância todos os detalhes sobre melhorarmos nossos hábitos de consumo.

*Ronaldo Bertacco é Artista Plástico e Professor de Arte